05 junho 2014

Foram poucos dias, mas aproveitamos: Santiago do Chile

Nossa missão era conciliar os principais pontos turísticos e uma festa de reveillon em poucos dias. Por isso, não fizemos o tão recomendado bate e volta até Valparaiso e Vina del Mar e também eliminamos a visita a vinícola da Concha Y Toro. Afinal, nossa primeira parada foi Mendoza e já tínhamos visitado vinícolas suficientes, assim como realizado todas as degustações possíveis.

Por isso, como éramos marinheiros de primeira viagem em Santiago, nos concentramos no centro histórico, nos famosos Cerros e nos bairros boêmios: Lastarrina e Bella Vista.

No centro histórico, iniciamos o passeio pela Plaza de Armas, que é considerada o marco zero da cidade e está rodeada por prédios histórico, como o prédio dos Correios (antiga sede dos governantes do Chile), a Catedral e o Museu Histórico Nacional. Todas as construções são bem bonitas e valem a pena serem observadas com calma, inclusive a própria Plaza de Armas possui seu charme, com árvores floridas, algumas esculturas, uma imponente estatua do fundador espanhol Pedro Valdívia e diversas placas de metais espalhadas no chão, ais quais contam a historia de como era Santiago há anos atrás. Achei bastante interessante.
 
 Dali seguimos em direção ao Palacio de La Moneda, e para isso, escolhemos um dos calçadões de pedestres, o Paseo Ahumada, uma rua fechada para pedestres, muito movimentada cheia de lojas, lojas de departamentos (Falabela, Ripley e Paris), restaurantes e camelos ( muito similar ao centro da cidade do Rio). Nesta rua também estão os famosos cafés com piernas, um deles é a Rede Haiti. Mas cuidado, pois esses cafés são frequentados apenas por homens, já que as garçonetes usam um uniforme bem “sensual”. Entrei em um deles, totalmente desavisada e me senti um ET e devorada pelos olhos dos velhos babões que ali estavam.

Ao final do Paseo Ahumada, siga pela Calle Bandeira até a Calle La Moneda, onde está localizado o prédio da Bolsa de Comercio de Santiago, que atualmente funciona a Bolsa de Valores. Um edifício muito bonito que chama atenção no meio dos demais prédios por suas cores e arquitetura. Seguindo a Calle La Moneda está o Palacio de La Moneda, atualmente sede da Presidência da República do Chile. O lugar é lindíssimo e é possível passear com tranquilidade por toda extensão da praça, onde também encontramos guardas montados fazendo a segurança do local. 

Infelizmente não visitamos seu interior, pois as visitas devem ser agendadas com muita antecedência e no período que estávamos viajando já não tinha mais data disponível. (Para agendar, basta enviar um email para: visitas@presidencia.cl, contendo o período da visita e quantas pessoas farão o tour).  Também não apreciamos um dos pontos altos que é a troca da guarda que acontece em dias alternados, sempre às 10:00h da manhã. Dizem que é uma cerimônia muito bonita, com apresentação de banda e cavalaria. Para saber a programação da troca de guarda veja aqui.

Para completar o tour ao centro histórico, seguimos para o Mercado Central, que assim como em outras cidades abriga uma quantidade considerável de restaurantes, lojas de souvenir e como  o próprio nome diz, um mercado com produtos frescos (frutas, peixes e cereais). 



Sinceramente, eu não recomendo esse passeio, pois o local fica um pouco distante de outros pontos turísticos e tudo lá dentro é extremamente caro. A única coisa que valeria a visita seria experimentar o famoso caranguejo gigante, Centolla, que inclusive era nossa intenção, mas ao entrarmos fomos "atacados" pelas abordagens, um pouco, agressivas dos garçons em tentar nos convencer de sentarmos em seus respectivos restaurantes. Essa tática não funcionou conosco e resolvemos desisti, até porque os preços eram abusivos de cada caranguejo e entendemos que não valia a pena.
  


Quanto aos famosos Cerros e os bairros boêmios: Lastarrina e Bella Vista vejam nos próximos posts.

Nenhum comentário:

Postar um comentário