13 maio 2014

Comer, Beber e Amar: Mendoza

Fonte: http://www.mendozaholidays.com/Mendoza_po.asp
Fazendo um plágio do livro Comer, Rezar e Amar, que embora não possua Mendoza como nenhum dos destinos, enquanto estive na cidade lembrei muito da história desse livro. Acredito que tenha sido pela atmosfera romântica das Cordilheiras e pela gastronomia excelente, cuja uma das principais atrações nada mais é do que sentar e se deliciar com a culinária Mendocina, acompanhada de um bom vinho Malbec ou de qualquer outra uva. Alias, no planejamento da viagem para Mendoza tenha em mente que é um lugar calmo, tranquilo, destinado a relaxar, portanto, inclua folgas para realizar refeições com calmas e em restaurantes recomendados. Tenho certeza que não irá se arrepender.

No entanto, tais restaurantes necessitam de reservas e alguns deles são bem concorridos, de forma que a reserva precisa ser feita com certa antecedência. Nós deixamos para realizar as reservas no dia que chegamos à cidade e solicitamos ajuda ao hotel para tal atividade. A procura é tão grande que conseguimos reservas apenas para o Anna Bistrô e ficamos na fila de espera do 1884. Ao final deu tudo certo e aproveitamos muito ambos os restaurantes. O único que é bem recomendado e não conseguimos reservar foi o Azafran, mas nem nos arrependemos, pois os restaurantes que fomos foram maravilhosos e esse está na lista para quando retornar a Mendoza.
  

Falando um pouquinho das nossas experiências gastronômicas nestes restaurantes....

O Anna Bistrô, como o nome já diz é um Bistrô lindíssimo, super aconchegante, com uma área interna e externa. Na área externa estão algumas mesas distribuídas no jardim, alguns pufes como se fosse um lounge, tudo muito bem decorado com flores, deixando o clima bem romântico.  O atendimento é excelente, os garçons muito atenciosos e prestativos.
Fomos acomodados em uma mesa no jardim embaixo de uma árvore, onde foi possível apreciar o céu estrelado e a noite linda de verão que estava fazendo. Na verdade, por ser no jardim e em Mendoza não ventar muito estava até um pouco quente, mas o lugar era tão lindo que o calor não atrapalhou muito. Pena que as fotos não retratam a beleza do local.


Vamos às pedidos: De entrada pedimos empanadas de carne, que estavam deliciosas, bem sequinhas e temperadas. Para o prato principal, fomos de Ojo de bife, corte Argentino, com molho de champignon, papas cozidas e uma pera assada. A pera foi totalmente dispensável, mas o restante... Me deu água na boca só de lembrar. A carne estava maravilhosa, desmanchando na boca. Repare o tamanho do prato, neste restaurante os pratos são bem servidos e dependendo da fome é viável dividir, principalmente se houver pedido uma entrada, como foi o nosso caso. Infelizmente a comilança foi tanta que nem sobrou espaço para sobremesa.






O 1884 está localizado dentro da Bodega Escorihuela do Francis Mallman, entretanto, essa bodega não é aberta a visitação, mas é possível beber seus vinhos durante o jantar; e inclusive recomendo muito que o façam, por serem vinhos nobres e muito encorpados.




Apesar da dificuldade de reserva diria que esse restaurante não pode faltar na sua viagem, devido ao charme, atendimento e sabor que este possui. O lugar é super chique e muito bonito. Seu maior charme estão nas mesas dispostas no jardim, são mesas grandes com cadeiras estilosas, sem falar na decoração a velas. No jardim também há um fogo a lenha, onde era possível acompanhar o processo de preparo da carne. 



Nossas escolhas: De entrada, pedimos mais uma vez as famosas empanadas de carne, apimentadas, uma loucura! Meu prato foi ravióli de mascarpone com manteiga de salvia, que estava sensacional!!! Acho que foi a melhor escolha da mesa.. rs
Já o marido foi mais uma vez de Ojo de bife, porém, o bife do Anna Bistrô estava muito mais suculento. Com relação ao tamanho, os pratos do 1884 não são tão generosos, mas não deixam a desejar no sabor. 




Fechamos a viagem com chave de ouro!!!

Um comentário:

  1. Que excelente matéria! Parabéns! Me fez recordar a minha viagem a Mendoza. Eu estou tentando aprender sobre vinhos e lá tive uma experiência inesquecível. Quando fui eu já tinha algumas vinícolas em mente..Catena, Pulenta…enfim, as mais conhecidas, mas por indicação da agencia de turismo também conheci algumas vinícolas que ainda não exportam vinhos para Brasil e amei. Como sou estudante de sommelier pedi para a agencia agendar visitas mais técnicas e pude desfrutar de experiências mais intensas com degustações em mãos de enólogos e dos donos das vinícolas. Como era a primeira vez, eu não preferi arriscar e fui nas bodegas com uma agencia de turismo especializada. Se me permitem fazer uma sugestão para quem ainda não foi, eu recomendo a empresa de turismo Mendoza Holidays (http://www.mendozaholidays.com), planejei a minha viagem por Skype com a Andréa, que é brasileira e assessora em vinhos e que me atendeu e também me acompanhou. Quero voltar e conhecer as vinícolas que por falta de tempo não pude ir. Boa viagem a todos! Carol

    ResponderExcluir