17 abril 2011

Aventuras em Itacaré

Nem só de praias e trilhas vive Itacaré. Nesse pequeno paraíso também é possível se aventurar no rafting, tirolesa e até mesmo conhecer algumas cachoeiras.

A cachoeria mas famosa é a Tijuipe, mas infelizmente não a conheci, por pura preguiça, pois até tinha tempo. De qualquer forma, minhas amigas foram e resolvi compartilhar as dicas, já que realmente parece que o lugar é um diferencial, contendo poços e piscinas naturais, sendo uma excelente pedida para relaxar após um dia de praia (segundo elas).

A cachoeira é de fácil acesso e está localizada dentro da Fazenda do Carioca, distante poucos quilômetros do centro de Itacaré (rodovia BA-001, entre Itacaré e Serra Grande). Como a cachoeira está dentro da fazenda é cobrada uma taxa de R$ 10,00 por pessoa para entrar e o horário de funcionamento é de 08:00h as 18:00h. Devido ao custo a cachoeira torna-se bem agradável, pois não enche.

Além da cachoeira, Itacaré também é famosa pelo rafting em Tamboquinhas, onde existem várias agencias que realizam esse passeio. Basta andar pela rua principal de Itacaré e avistar a quantidade de agencias oferecendo o mesmo passeio com custos bem variados. Inclusive se estiver em grupo pechinche para conseguir um desconto, principalmente se estiver de carro e for por conta própria encontrar o ponto de apoio em Tamboquinhas. Após muito pechinchar, resolvemos fechar com o Planeta Rafting por R$ 35,00 por pessoa. Para evitar confusão agendamos o primeiro horário em Tamboquinhas, ou seja, as 08:30hh, porém esqueceram de nos avisar que a estrada de Itacaré até Tamboquinhas é péssima! São 40 minutos em estrada de barro, esburacada cuja velocidade máxima alcançada foi 10km/h.

Passado o trauma e o remelexo do trajeto, encontramos o ponto de apoio na minúscula cidade de Tamboquinhas, onde recebemos os equipamentos, instruções e seguimos viagem, agora em uma pickup até o ponto alto do Rio de Contas. Por sorte, o Rio estava com nível baixo devido há falta de chuvas recentes. Digo sorte, pois a maioria do grupo que estávamos eram marinheiros de primeira viagem e confesso que estava nervosa e com medo de ficar atolada com o remo, instruções e acabar ficando para trás em uma das quedas.... RS

Mas a experiência me surpreendeu muito e eu adorei a aventura. Posso dizer que foi bem light com relação ao percurso do rafting onde ficamos mais atolados, fazendo juz ao nome escolhido para equipe, do que descendo corredeiras desesperadamente. No meu ponto de vista o diferencial desse passeio foi em um determinado ponto que não havia descidas o instrutor permitiu que fossemos nadando e foi muito bom mergulhar no rio calmo com águas quentes. Aproveitando a parada, os mais corajosos podiam pular de uma pedra de 15 metros de altura para que depois seguíssemos viagem até o ponto da tirolesa, onde o passeio encerra com chave de ouro.


Uma dica importante que não foi mencionado na hora que fechamos o pacote, use roupas confortáveis, já que não é recomendável usar apenas roupa de banho, pois ficamos sentados na beira do bote e o contato com a pela faz com que escorregue, por isso, é importante estar de roupa confortável e tênis. Além disso, no ponto de apoio em Tamboquinhas há um rapaz que oferece o serviço de fotos e um cd ao final do passeio. Não pense duas vezes, até porque é impossível carregar máquina durante o rafting, então pague R$ 20,00 pelo CD. E acredite, a qualidade é boa e as fotos são ótimas, muito bem tiradas. Inclusive é permitido solicitar que o menino que segue no bote de apoio tire quantas fotos quiser.








Nenhum comentário:

Postar um comentário