21 novembro 2010

O desprezado, Paraguai

Só tenho uma palavra para descrever o Paraguai... CONFUSÃO!

Resolvemos ir na sexta-feira, assim que chegamos de viagem, pois li em diversos lugares que fim de semana as ruas ficam insuportavelmente cheias e muita gente andando com sacolas. Ainda bem que decidimos ir na sexta, pois já achei isso tudo sem ser fim de semana, imagina em época de férias e feriado??!!!! Deve ser uma loucura!

No Paraguai eu realmente não faço questão de retornar, a menos que vá com um grupo de amigos, pois a confusão nas ruas, os vendedores te abordando e oferecendo as mercadorias, a guerra para ver quem chama primeiro a atenção de quem passa o empurra-empurra, sem contar a confusão no trânsito, onde passa bicicleta, van, ônibus, carro, carrocinha, moto tudo junto. Enfim, me senti andando no Saara em época de Natal, Dia das crianças com uma mistura das ruas do Peru com os vendedores te abordando e perturbando para comprar algo. Parar em frente alguma barraca é a pior escolha que possa fazer, pois eles não aceitam não como resposta.


Apesar de toda epopeia para andar pelas ruas do Paraguai, existem alguns shoppings que dentro deles "estamos salvos" de toda confusão do lado de fora. Os melhores shoppings são Matrix e Monalisa, onde tive a impressão de estar dentro de uma daquelas lojas de departamento enormes do EUA. Com relação aos preços, acredito que vale a pena dependendo do que comprar. Eu comprei uma lente para minha máquina fotográfica, cujo preço foi excelente e até o momento está funcionando perfeitamente. Confesso que fiquei muito receosa e fui a diversas lojas pesquisar preço e qualidade, mas acabei comprando na loja indicada pelo motorista do hotel, que ficava no shopping Americana, outro shopping que também tem varias lojas legais.

Com relação ao transporte até a Ciudad Del Este, o Paraguai, resolvemos ir de Van de turismo da agência do hotel, pagamos R$ 30,00 cada, com duração de 3 h de passeio. Sinceramente mais do que suficiente para conhecer e comprar, sem contar que acredito ter sido a forma mais segura de chegar e sair, pois a outra forma seria de ônibus normal e o trajeto levaria em torno de 1h, além de ter que parar na fronteira para pedir autorização de entrada, o que não era um lugar nada amigável. Na minha opinião, a Van do hotel foi a escolha mais inteligente que fizemos e não tivemos a menor dor de cabeça, nem para entrar e muito menos para sair do Paraguai, pois acredito que essas Vans já possua algum acordo com a Alfândega, já que nenhuma é parada para fiscalização.




INFORMAÇÕES ÚTEIS:

- Não existe tarifa de entrada em Ciudad Del Este, Paraguai;
- As lojas funcionam em sua maioria de Segunda à Sábado, das 6h ás 16h;
- Guia de lojas e empresas: http://www.guiadoparaguai.com.br/;
- Não esqueça de pechinchar, principalmente para compras à vista.

Um comentário:

  1. Ale, nem sou muambeira, mas já fui 3x a Ciudad del Este. Na verdade, 3x a Foz, mas já que estava ali do lado, acabava me metendo nessa furada. Na 1a fui de carro. DE CARRO! Mas isso foi em 94, eu era adolescente no banco de trás e cagava pra bagunça do trânsito. Na 2a, van do hotel. Compramos mil muambas que entraram por "esquema", numa van atrás de nós. Deu medo de tomar volta. Na última, fui de busão mesmo. Achei tranquilo, mas também não levei nem bolsa e não comprei quase nada. A missão é, na próxima vez em Foz, esquecer que o Paraguai é logo ali. :)

    ResponderExcluir