05 julho 2009

Arequipa

Arequipa, ou chamada de ‘León del Sur’ ou ‘Cidade Blanca’, é uma das mais tradicionais e de maior importância histórica do Peru. Encontra-se localizada mais ou menos a 1.000 km ao sul de Lima e possui um estilo arquitetônico típico e único no mundo, se caracterizando por construções antigas e outras mais modernas, onde foram usados blocos de lava vulcânica “andesito”, comumente chamada de silhar, de cor esbranquiçada, bege, e, às vezes, rosada. Dai o nome de cidade branca.
Arequipa é rodeada por uma cadeia montanhosa, onde se destacam três grandes vulcões: o Pichu Pichu, o Misti e o Chachani, todos com elevações superiores a 5,8 mil metros acima do nível do mar, e recobertos permanente de neve no seu cume.
Essa cidade foi a mais bonita que achamos, mas caso queiram ir aos mesmos lugares, procure ir primeiro para Puno e posteriormente para Arequipa, pois é mais perto.
Decidimos Arequipa primeiro, porque iriamos encontrar meu tio, e ele, nos levariam de carro à Puno.

A viagem de Cusco a Arequipa durou 10h de ônibus, onde passamos a noite. O ônibus era até confortável, e o lanche era gostosinho, mas como medida de segurança da Cruz del Sul, todos os passageiros são filmados. Foi um tanto quanto constrangedor, mas logo, logo vieram as ... como se chamam??? Rodomoças??? Enfim, distribuindo uma cartela de bingo. É verdade, me senti nas excursões que minha mãe faz, mas até que foi divertido. O único problema do ônibus é que o banheiro só podia ser utilizado para urinar. Como assim??? Eu passando mal, muito mal e não poderia usar o meu melhor amigo nesses últimos dias, o banheiro.

Chegando em Arequipa, fomos direto para agencia de viagem para fazer o passeio do Canon del Colca, o qual é necessário 2 dias e 1 noite. Porém, se tiverem como fazer esse passeio individualmente é bem melhor, pois não é necessário dormir em Chivay para ver os condores no dia seguinte, basta sair bem cedo de Arequipa que é possível, mas como não conheciamos, fizemos com a excursão e foi bem legal, o trajeto é lindo, com paisagens deslumbrantes.



Na ida, paramos em alguns lugares para vermos vicunhas, lhamas e alpacas. Além dos inumeros Alpes e vulões desativados... o passeio até o vilarejo de Chivay, local onde passamos a noite, foi muito bonita.



Nessa foto, abaixo, estavamos no Mirador de Los Andes, e altitude nada mais era que 4.900m acima do nivel do mar, eu que já não estava bem da barriga, não tomei nenhum cházinho de coca, com medo de passar mal durante o passeio, estava me sentindo cansada demais, coração disparando e sem ar... Sintomas angustiantes!!!
Mas a vista valia qualquer sacrifício. E essas pedrinhas, amontoadas no chão, são pedidos para o Deus da Terra, Pachamam.



Após umas 3:30h, chegamos no vilarejo de Chivay, que fica no meio de um vale, ou seja, um frio descomunal a noite. Por isso, digo que para se visitar o Canon del Colca, não precisa ir de excursão e nem dormir em Chivay. Isso era preciso para no dia seguinte, bem cedo ir ver os condores.
Outra roubada, li em vários lugares sobre as águas termais, então, tínhamos que ir... sendo que imaginava algo como uma piscina natural no meio das pedras... Pois bem, pagamos Sl 10,00 para entrar em uma espécie de clube, onde haviam algumas piscinas cobertas e descobertas, porém a água era quente. Maior piscinão de Ramos!!!! Esse foi definitivamente o programa de índio da viagem.
Depois acabamos descobrindo que existiam hotéis, bem mais caros e fora do vilarejo de Chivay que possuíam essas tais piscinas naturais mesmos....



Nenhum comentário:

Postar um comentário