24 maio 2009

Paraty


Por incrível que pareça, moradora do Rio de Janeiro, carioca da gema a mais de 30 anos e não conhecia Paraty, destino tão almejado pelos boêmios.
Então, aproveitando a quantidade privilegiada de feriados, resolvi matar a vontade e curiosidade de ir a Paraty e Trindade no feriado de 23/04/2009, Dia de São Jorge.



Escolhemos ficar em uma pousada longe do centro, antes da entrada principal da cidade, mas se tratado de Paraty nada é longe. Adorei a pousada, Laguna Blue, e recomendo para quem estiver planejando viagem para lá. Um dos fatores que nos fizeram escolher essa pousada foi o custo benefício e pelo diferencial de oferecer um lanche a tarde com chá, café, torradas e bolo. Uma excelente receptividade e ótimo para matar aquela foma no retorno dos passeios.

Chegamos a Paraty por volta de 13:00h, então, resolvemos passear pelo centro e explorar as lojas, onde gastaríamos futuramente com lembranças e afins. Lembro que em menos de 2h já havíamos percorridos as ruas e conhecido boa parte de Paraty. Então, fomos explorar a parte gastronômica, para isso, entramos
 no restaurante chamado Paraty 33, um dos mais famosos e mais caros, mas achei super simpático até porque a música ao vivo estava ótima.

À noite, voltamos para centro e dessa vez buscamos as famosas cachaças de Paraty. Encontramos o restaurante Porto da Pinga, restaurante tradicional da cidade, decorado com estantes com todas as cachaças que a casa oferece, aconchegante, comida muito boa e a música estava ótima. Comemos uma truta grelhada e depois um caldo verde que lembro até hoje o gosto. Vale muito à pena conferir. Só tome cuidado, pois os donos desse restaurante aproveitam as pedidas dos clientes para compartilhar do brinde e tomarem suas doses de cachaças também, então confiram a conta para não serem lesados.
Segundo dia, e como bons turistas que somos, fomos fazer o passeio de barco pelas ilhas de Paraty. Existem várias agências que oferecem os mesmos passeios, variando apenas algumas ilhas. Caso esteja em grupo, acho que vale a pena negociar um barco particular, onde possa parar em mais ilhas interessantes. A única coisa que não gostei nesse passeio é que não existe parada para almoço. Este é servido dentro do barco ancorado em uma ilha. Por isso, decidimos escolher apenas um file de peixe aperitivo que custava o preço do prato de comida e nos guardamos para noite.










Outra dica excelente de restaurante é um Argentino (acho que é o único em Paraty), que infelizmente esqueci o nome, cujo aperitivo de linguiça e carne é suficiente para duas pessoas além de ser maravilhoso. Gostamos tanto que no dia seguinte repetimos a pedida.



No terceiro dia fomos explorar Trindade, que fica a mais ou menos 1h de Paraty, porém o acesso ao centro é muito ruim, pois é feito através de uma estradinha minuscula  e de ladeira. Até hoje não sei como dois carros passam por essa estrada que pasmem, é mão dupla. Para se ter ideia de como é estreita, existe uma  placa no inicio da estradinha proibindo o acesso dos ônibus, pois os mesmos não cabem.

Já em Trindade, procure um estacionamento, cujo preço é R$ 5,00, perto do acesso as praias dos Ranchos e Praia do Meio, pois dali é possível ir andando para as praias. O próprio dono do estacionamento vai tentar te vender um passeio de barco para ver as piscinas naturais, passeio esse que não fizemos, uma vez que não estávamos com dinheiro. Fato importante, em Trindade não existe caixa eletrônico de nenhum banco e a maioria dos lugares (barracas de praia e lojas) só aceitam dinheiro. Portanto, não esqueçam de levar dinheiro em espécie para esse passeio se não passarão perrengue ou ficarão na vontade de fazer alguma coisa. Como foi nosso caso, de não fazer o passeio as piscinas naturais. Apesar, que depois nos informaram que essas piscinas podem ser acessadas andando. Não sei se o acesso é tranquilo ou não, pois acabamos desistindo e não nos informando sobre isso. 

Aproveitamos o dia para conhecer as praias, fomos em cada uma delas. Na praia do meio existem umas pedras que valem a pena subir para umas fotos lindas. É super tranquila a subida, não se deixem levar pelas ondas que batem nas pedras e causa uma sensação que iremos escorregar...rs

Após a sessão de fotos na praia do meio, ande até o final dela e procurem a trilha para praia do cachadaço, de novo, não fiquem com preguiça das escadarias, pois a praia é linda e super tranquila. Ideal para passar o dia fazendo nada e curtindo o sol e o visual maravilhoso. Outra dica
é levar uma garrafa d’água para essa praia, uma vez que não existem vendedores ambulantes e o único restaurante ao final da praia não aceita cartões, apenas dinheiro em espécie. Li em algum lugar que nessa praia não existe energia elétrica, fato este que impossibilita a utilização desses recursos tão modernos e indispensáveis do dia de hoje.



Dicas de restaurantes em Trindade vou ficar devendo, porque quando retornamos a praia do meio até sentamos em uma das barracas na praia, claro que o critério de escolha foi em alguma que aceitasse cartão, porém, nada do cardápio parecia apetitoso. Então, ficamos com a incomparável Original e uma bela porção de batatas fritas.

Realmente não sei se no centro de Trindade existem algumas outras opções de restaurantes, pois ao entardecer começou a chover e só nos restou ficarmos bebendo, ligando para os amigos enquanto aguardávamos que São Pedro nos ajudasse a sair dali. Afinal estávamos imaginando como seria voltar pela tal estrada estreita após algumas cervejas e ainda por cima chovendo.

Passada a chuva, retornamos ao estacionamento e finalmente a Paraty para o tão ansioso lanche da tarde na pousada. Mesmo sendo sábado, o dia foi tão intenso que não aguentamos ficar ate tarde pelas ruas de Paraty e fomos logo para a pousada descansarmos, uma vez que no dia seguinte havíamos planejado mergulhar, ou seja, fazer um “batismo” em Paraty. Posso dizer, que lembro que a rua estava lotada de gente andando, tipo Búzios na rua das pedras e que o point é o Paraty 33, que vira uma boate a noite, a qual pareceu super animada e bem cheia. Antes que me perguntem a freqüência... tinha de tudo... família, adolescentes e casais.
Adicionalmente, indico uma loja de bebidas e doces, Armazém da Cachaça, para comprar cachaças, doces de leite, trufas recheadas de cachaça e enfeites.

Infelizmente chegou domingo, ultimo dia, e não fizemos o tal esperado “batismo”. A razão? Havíamos gastado demais, estávamos ainda cansados e a volta ao Rio de Janeiro era longa, com isso, optamos por deixar para uma próxima oportunidade.

4 comentários:

  1. Priminha... Adorei o blog e espero que não seja só uma diversão de férias... rsrsrs

    Agora que és fotógrafa profissa, as fotos tendem a melhorar... Apesar que essas do blog já estão lindas...

    Bem... Eu tenho nome!!!! :)

    ResponderExcluir
  2. As fotos viraram um lindo papel de parede. Adorei!
    beijinho,
    Euzinha (AVM)

    ResponderExcluir